Ações da Ásia caem com protestos em Hong Kong e fala de Trump

     Porto Alegre, 13 de novembro de 2019 – Os principais índices do mercado de ações da Ásia fecharam em campo negativo, liderados pela Bolsa de Hong Kong, em meio a protestos contínuos, e após os Estados Unidos reforçarem a retórica de disputa comercial.

     O presidente norte-americano Donald Trump disse ontem que a primeira fase de um acordo comercial significativo pode acontecer em breve, e afirmou que, case um pacto não seja assinado, vai elevar substancialmente as tarifas à produtos importados chineses.

     “Os investidores continuam analisando possíveis sinais do ruído em torno do tão esperado acordo comercial entre Estados Unidos e China”, disse o analista do FXTM, Han Tan. “Trump provocou os mercados, dizendo que um acordo poderia acontecer em breve, ao mesmo tempo em que repetiu ameaças tarifárias”.

     Além disso, os protestos se intensificaram em Hong Kong, com o aumento da violência e dos confrontos entre os manifestantes e a polícia nesta semana. Ontem, a líder da cidade, Carrie Lam, disse que os protestos estão paralisando a região, e a política disse que Hong Kong está à beira do colapso.

     Diante deste cenário, a Bolsa de Hong Kong caiu quase 2% e liderou as perdas na região. No Japão, a Bolsa de Tóquio teve queda puxada pela perda de 1,8% nas ações da varejista Fast Retailing, enquanto as ações da Nissan tiveram baixa de 0,5%. As informações são da Agência CMA.

     Confira abaixo a variação e a pontuação de fechamento dos índices asiáticos:

    Nikkei 225 (Tóquio): -0,85%, 23.319,87 pontos

    Hang Seng (Hong Kong): -1,82%, 26.571,46 pontos

    Xangai Composto (Xangai): -0,33%, 2.905,24 pontos

    Kospi (Seul): -0,86%, 2.122,45 pontos 

     Revisão: Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA