Preços do trigo encerram outubro com estabilidade no Brasil

Porto Alegre, 1o de novembro de 2019 – O mercado brasileiro de trigo encerra outubro com cotações estáveis após um período de retração com a entrada da nova safra nacional. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Jonathan Pinheiro, apesar disso, o mercado segue atento à possibilidade de alterações, levando em conta fatores cambiais que alteram a competitividade do trigo nacional frente o importado, à possibilidade de mudanças no quadro de oferta nacional e a quebras de safra na Argentina, principal fornecedora de trigo ao Brasil.

“Desta forma a indústria brasileira necessitaria buscar alternativas ao seu abastecimento, possivelmente com preços menos atrativos”, observou.

A colheita segue de maneira lenta nos principais estados produtores do país devido à ocorrência de chuvas, que até o momento não vêm prejudicando as produtividades, mas levam a atrasos. Devido ao progresso elevado no período inicial dos trabalhos, de maneira, geral a colheita no Paraná que se aproxima do encerramento ainda está adiantada frente o mesmo período da temporada passada, mas tendo uma aproximação dos números ao longo das semanas devido ao avanço reduzido dos últimos dias.

Paraná

O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, informou, em seu relatório semanal, que a colheita do trigo no Paraná atinge 87% da área, estimada em 1,023 milhão de hectares, contra 1,102 milhão de hectares em 2018, queda de 7%.

As lavouras estão em boas condições (78%), condições médias (20%) e ruins (2%), divididas entre as fases de frutificação (24%) e maturação (76%).

A safra 2019 de trigo do Paraná deve registrar uma produção de 2,177 milhões de toneladas, 22% abaixo das 2,808 milhões de toneladas colhidas na temporada 2018. A produtividade média é estimada em 2.236 quilos por hectare, abaixo dos 2.567 quilos por hectare registrados na temporada 2018.

Rio Grande do Sul

A colheita de trigo atinge 50% da área no Rio Grande do Sul. As lavouras se dividem entre as fases de enchimento de grãos (5%) e maturação (45%). Nesta safra, a área estimada pela Emater/RS-Ascar para o cultivo do trigo é de 739,4 mil hectares. A área de cultivo de trigo no RS corresponde a 37% da área brasileira de plantio com o grão.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA