Mercado acompanha colheita do trigo no Brasil e repercute USDA

Porto Alegre, 11 de outubro de 2019 – Enquanto avança a colheita do trigo no Paraná e os trabalhos se iniciam no Rio Grande do Sul, o mercado repercute o relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que indicou novo crescimento da oferta mundial.

Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Jonathan Pinheiro, as condições das lavouras no RS são melhores do que as do PR. “Apesar disso, ainda não há maior indicação de quebra representativa para o quadro de oferta nacional. Se mantém um viés baixista para as cotações de referência do mercado, devido ao crescimento de oferta em um curto espaço de tempo”, disse. O câmbio segue sendo variável importante neste momento devido às recentes oscilações.

Paraná

O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, informou, em seu relatório semanal, que a colheita do trigo no Paraná atinge 76% da área, estimada em 1,023 milhão de hectares, contra 1,102 milhão de hectares em 2018, queda de 7%. As lavouras estão em boas condições (67%), condições médias (26%) e ruins (7%), divididas entre as fases de floração (8%), frutificação (55%) e maturação (37%).

Rio Grande do Sul

A colheita de trigo foi iniciada e atinge 1% da área no Rio Grande do Sul. Segundo boletim semanal da Emater/RS, 3% das lavouras encontram-se em desenvolvimento vegetativo, 8% delas em fase de floração, 64% estão na fase de enchimento do grão, em 27% delas o trigo encontra-se em maturação (característica que se configura entre a maturação fisiológica e o ponto de colheita). Nesta safra, a área estimada pela Emater/RS-Ascar para o cultivo do trigo é de 739,4 mil hectares. A área de cultivo de trigo no RS corresponde a 37% da área brasileira de plantio com o grão.

USDA

O mercado repercutiu a elevação dos estoques globais e norte-americanos pelo Departamento de Agricultura dos Estado Unidos (USDA). Os números vieram acima do esperado por analistas consultados por agências internacionais antes da divulgação.

A safra 2019/20 do cereal nos Estados Unidos é estimada em 1,962 bilhão de bushels, abaixo dos 1,98 bilhão de bushels estimados em setembro. Para a safra 2018/19, a safra estadunidense ficou em 1,885 bilhão de bushels. Os estoques finais do país em 2019/20 foram projetados em 1,043 bilhão de bushels, contra 1,014 bilhão de bushels no mês passado. O mercado esperava 1,014 bilhão de bushels. Os estoques ao final de 2018/19 são estimados em 1,08 bilhão de bushels.

A safra mundial de trigo em 2019/20 é estimada em 765,23 milhões de toneladas, contra 765,53 milhões de toneladas em setembro. Para a safra 2018/2019, a estimativa do USDA é de 730,5 milhões de toneladas. Os estoques finais globais em 2019/20 foram estimados em 287,8 milhões de toneladas, acima das 286,51 milhões de toneladas estimadas no mês passado. O mercado esperava 285,7 milhões de toneladas. Para 2018/19, os estoques são estimados em 277,68 milhões de toneladas.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA