Quebra na safra dos EUA pode abrir espaço para arroz brasileiro

     Porto Alegre, 4 de outubro de 2019 – O mercado de arroz do Rio Grande do Sul, principal referencial nacional, encerrou o mês de setembro com valorização de 2,12% na saca de 50 quilos do casca, cotada a R$ 45,79.

     Conforme o analista de SAFRAS & Mercado, Gabriel Viena, o arroz tipo longo-fino produzido nos Estados Unidos, que compete com o produzido no Brasil principalmente no mercado caribenho, contou com grandes perdas de área devido as chuvas no período de plantio da safra deste ano no país. “A estimativa de adido do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos é de que a produção de longo-fino do país tenha perda de 1,74 milhão de toneladas”, destaca.

     “Esta safra norte-americana citada acima é a que será comercializada pelo menos até o mês de julho de 2020”, explica Viana. Ou seja, abrirá espaço para o arroz brasileiro da próxima temporada entrar em mercados que antes eram dominados pelos Estados Unidos e não terão acesso ao produto nesta temporada devido à esta redução na produção do país.

     Tendo em vista que a produção no Brasil deverá ser pelo menos 500 mil toneladas superior que a atual na próxima temporada (sem que haja problemas no clima), esta oferta maior pode ser direcionada aos, até então, importadores de arroz dos Estados Unidos.

     De acordo com o novo levantamento realizado por SAFRAS & Mercado, a área a ser plantada com arroz no Brasil na temporada 2019/20 está estimada em 1,682 milhão de hectares, o que representa um decréscimo de 5,2% em relação à da safra anterior. O potencial de produção brasileiro é de 11,250 milhão de toneladas, 5,6% superior às 10,650 milhões de toneladas da safra 2018/19, No levantamento anterior, de julho, eram esperadas 11,275 milhões de toneladas, em uma área de 1,817 milhão de hectares.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA